sábado, janeiro 05, 2008

Ah, Noel!

Meu amigo Ivson (fala, autoridade!) acaba de nos contar - aqui - que ''desde terça-feira passada, 1º de janeiro, as obras nas quais o gênio de Vila Isabel trabalhou sozinho estão em domínio público, por terem completado 70 anos desde que começou a contar o tempo da Lei de Direito Autoral (por um motivo que só o Ecad pode explicar, esse tempo conta só a partir de 1º de janeiro do ano posterior ao da morte do último autor da obra. Como Noel morreu em 36, a contagem começou em 1º de janeiro de 1937)".

Aqui na vitrola de casa, o seu Rosa marca ponto especialmente através de Aracy de Almeida (em vários compactos simples lançados nos anos 30 e 40, mas também nos discaços Noel Rosa, um EP lançado em 1950 pela Continental e no me favorito Canções de Noel de Rosa, de 1955), mas também via Francisco Alves (em dezenas de 78 rotações) e Marília Batista (nos dois ótimos História Musical de Noel Rosa, Vol.1 e Vol.2, lançados em 1963). Isso sem esquecer do lindo A Dama do Encantado, em que Olívia Byington homenageia Aracy e nos presenteia com versões lindas e definitivamente almeidianas de várias pepitas de Noel.

Huuum...tenho horror a ficar pautando amigos, mas não seria este um bom mote para o meu podcast favorito, o sensacional Caipirinha Appreciation Society (fala, cabrocha Kika!alô, alô cumpádi Suíngue!), dedicar um programa ao bamba da Vila?

Um comentário:

Coisas da Ju disse...

oi Edu,
lembra de mim ??? amiga da re amato, lara , por tras da fama.. 1800 a.c.
queria uma dica de Ny, manda seus contatos please
adorei o blog tambem tenho depois vai me visitar :
http://jujugabiroba.blogspot.com/