sexta-feira, novembro 02, 2007

Entrevista/DANIEL RADCLIFFE


A Contigo! que está nas bancas publicou minha conversa com o ator Daniel Radcliffe, 18, famoso por encarnar na tela grande o bruxinho inglês Harry Potter. Daniel, simpaticíssimo, esteve aqui em NY para o lançamento de seu filme Um Verão Para Toda a Vida, que estréia nos cinemas brasileiros hoje, e é uma desengonçada love story, uma produção independente australiana que não diz bem a que veio. Mas Radcliffe está bem como Maps, o mais velho de um grupo de adolescentes órfãos e consegue provar que podeir além das bruxarias de Potter. Aí embaixo vão os principais trechos da conversa que ele teve com a imprensa em um hotel de luxo nas proximidades do Central Park:


Sexualidade
"Agora que tenho 18 anos, sei que vão aparecer mais papéis vinculados à minha idade real e que tratarão da descoberta da sexualidade, por exemplo, como aconteceu com o Maps. Tudo bem. Também faria um personagem gay, desde que, claro, o papel e o filme fossem bons."

Inspiração e transpiração
"Tenho muita alegria de viver e me empolgo facilmente em conversas e discussões, assim como o Harry. Já Maps é o meu oposto. Para mergulhar no mundo dele gravei alguns CDs de música e os enviei ao diretor (Rod Hardy), para ver se estava no caminho certo do personagem. Ele me disse que era isso mesmo e que após ouvir aquelas músicas de meus queridos Elliott Smith, Willy Mason e Radiohead, ele quase cortou os pulsos (risos)! A música é fundamental no meu processo criativo, artístico. Sempre me ajuda a entender como o personagem vivencia determinada emoção ou situação."

Impondo respeito
"Quando tinha 11 anos, vivi o melhor dos mundos no set do primeiro longa de Harry Potter (E A Pedra Filosofal). Queria que Christian (Byers), Lee (Cormie) e James (Fraser, protagonistas, junto com ele, de Um Verão...) tivessem uma experiência semelhante. Então, mostrei a eles a importância de se trabalhar com seriedade total, para manter a atmosfera sempre calma no set. Quando dava 1h da manhã e queriam ir embora, conversava com eles e dizia 'meninos, concentração total, que temos de voltar para o hotel e dormir'. E eles foram brilhantes."

Amizade e paixão
"Sou muito ligado aos meus amigos. Alguns estão no mundo do cinema, outros, fora. Meu melhor amigo é Robin. Eu o conheço desde quando tínhamos 5 anos e ele não tem nada a ver com Hollywood. Robin não está nem aí para a minha carreira, o que é ótimo. Sobre paixões, é claro que já tive minhas desilusões amorosas, mas não vou contar quantas vezes, não (risos)".

Símbolo Sexual
"É engraçado como se falou do beijo que eu protagonizei no último Harry Potter! Mas que coisa (risos)! E olha que não foi nem meu primeiro beijo. O primeiro, rodei em Um Verão Para Toda Vida. Todas as cenas foram filmadas numa caverna em um único dia. Quando Maps (seu personagem no filme) tem um ataque nervoso, na parte final, já estávamos nesse lugar por 16 horas. Era quase manhã da véspera de Natal, então eu já estava quase tendo uma crise de nervos de verdade (risos)! E Teresa (Palmer, 21, que faz Lucy, por quem Maps se apaixona) foi ótima, pois ela já havia feito duas ou três cenas de sexo em outros filmes e me guiou. Apesar de ser 3h do dia 24 de dezembro, foi ótimo. Afinal, bem, você viu a Teresa, né? (risos)"

Nu no palco
"Foi uma experiência sensacional encenar Equus (a cena em que fica nu na peça foi apontada como um dos motivos de uma legião de fãs ter aparecido no Teatro Gielgud) no meu país e espero que ano que vem, na Broadway, em Nova York, seja ainda melhor - a peça deve estrear nos Estados Unidos no início de 2008. Tive que desenvolver muito meu poder de concentração. Não é como no cinema, em que o take acaba e você pode relaxar. Eu fico em cena o tempo todo! Foi o trabalho mais exaustivo da minha vida. Mas foi sensacional."

Harry Potter e as Relíquias da Morte
"Li e adorei! Meus fãs ficariam chocados se eu não tivesse lido ainda, né? Achei fantástico e, ao terminar, pensei imediatamente que vai ser estranho quando formos filmar a última parte desse épico. Não sei como vou me sentir quando tudo terminar. Vai ser triste, mas bom também. Eu prometo."

Maturidade
"Ainda me vejo como um menino. E ainda jogo Banco Imobiliário sempre que posso (risos). Não acho que a gente tem de crescer assim, de supetão. Tipo, fez 18 anos e pronto, ficou sério. Ainda tenho muito de imaturo e muito o que crescer."

3 comentários:

Fernando Rabelo-Editor disse...

Prezado Eduardo Graça. Muito bom descobrir o seu blog. Está no ar o meu blog sobre fotografia intitulado Images&Visions.
http://imagesvisions.blogspot.com/
Ainda em fase experimental.Fale com seus amigos, opinem e divulguem para outras pessoas. Vocês podem mandar artigos,fotografias,material de divulgação de eventos ,como exposições, livros, palestras, concursos, etc. Um forte abraço
Fernando Rabelo

morango disse...

.. um artigo curto e objetivo..
seria interessante escrever algo mais sentimental [e porque não sensacionalista] a respeito de Daniel..
acho que sempre que, ao tratar de arte, temos mesmo que aflorar cada vírgula senimental que se pode no texto.. é diferente de escrever uma reportagem policial..

.. acho que foi só isso o que me fez falta nesse post.. no mais.. bem escrito claro, e o Daniel, bem.. sem comentários..

rsrs!
até mais..

morango disse...

.. tem um 'que' sobrando por aí né dona morango??
rsrs..

perdão..