domingo, janeiro 13, 2008

Obama: alianças à direita

O senador Barack Obama segue em sua tática de atrair os setores mais conservadores do Partido Democrata, que têm horror à candidatura Clinton. Hoje ele anunciou dois apoios importantes na América Profunda, de duas mulheres que despontam como novas estrelas na política nacional. A primeira foi governadora do Arizona, Janet Napolitano, que assinou a legislação mais dura contra a imigração ilegal no país e é adorada pelos republicanos. A segunda é a senador Claire McCaskill, do Missouri, favorável a se erguer muros na fronteira sul dos EUA prevenindo a entrada ilegal de imigrantes mexicanos. Napolitano, por seu caráter conservador, já é cotada para ser candidata a vice-presidente em uma chapa comandada por Obama.

3 comentários:

Milena disse...

Edu, agora é minha vez de agradecer a visita. Gosto tanto dos seus textos e pelo que leio sei que você é um jornalista super respeitado... nunca pensei que fosse visitar minha página! Fiquei até envergonhada... mas contente! Espero mesmo que vc encontre A culpa do Fidel e me diga o que achou. Um abraço.

osrevni disse...

Essa eleição promete... Li uma biografia (curta, naturalmente) do Obama no Le Monde e fiquei com a impressão de que ele é uma figura do momento, quer dizer, "a pessoa certa no lugar certo". Ao final do governo Bush, as pessoas clamam por alguém com uma diferença marcante, tanto na história de vida quanto, enfim, na etnia etc... alguém muito mais diferente do que a Hillary. Mesmo se ela tem muito mais quilometragem (até porque, dizem as más línguas, já governou os EUA). Se ele não levar essa, a vez dele vai passar. Ele tem que jogar todas as fichas.

Bom, isso é a impressão de alguém que está longe, claro. Um exercício de elucubrações... :-)

Eduardo Graca disse...

Ontem a Hillary deu um banho no primeiro debate em que apenas os 3 candidatos principais do flanco demcrata participiaram - ela, Obama e Edwards. Vai ser muito díficil tirar dela esta candidatura.