quinta-feira, janeiro 27, 2005

Amo Muito Tudo Isso

A matéria do dia, para quem ainda não leu, está hoje em O Globo (http://www.oglobo.com.br/) e vai assinada pelos repórteres Ana Wambier, Marco Antônio Cavalcanti e Roberta Oliveira. Em uma sacada simples, desmascaram o boboca (polêmico é adjetivo a ser usado com mais parcimônia e oferecido a sujeitos com inteligência mais obesa) do Larry Rother entrevistando as senhoras tchecas que apareciam na foto da matéria do The New York Times que jurava que a garota de Ipanema não é mais a tal.

A partir dos dados do IBGE que detecataram um aumento da obesidade no país, nosso repórter favorito resolveu provar que a juventude dourada do Posto Nove está mais para turista do Meio-Oeste disputando Big Macs em Times Square. De novo um exemplo de péssimo jornalismo, de apuração malfeita e de um cacoete aqui do intocável NYT de que fazer reportagem em país de periferia é moleza, basta ter a idéia genial e conseguir encaixar um personagem aqui, outro acolá. Troféu Ronald Mc Donald’s de cara-de-pau do ano para o Rother.

Mas, como a gente odeia injustiça, quem sabe não é o caso de o seu Rother, que parece estressado, aproveitar o Carnaval para relaxar e ouvir boa música? Uma sugestão é o samba do bloco dos jornalistas cariocas, o Imprensa Que Eu Gamo, composto pelos colegas Marceu Vieira, Janjão e Fábio Nascimento, que diz assim: “Deu no New York Times/que a Garota de Ipanema é fofa/e viram nas morenas bundas flácidas/com celulites e culotes retumbantes/ que a nossa musa agora é uma baleia/sereia de antigos carnavais/’O Brazil não conhece o Brasil’/O Lula é presidente ou um barril?/Não gosta de cachaça/Não entende de mulher/O Larry Rohter, será que ele é?/VEJA, ISTO É a nossa ÉPOCA/Só tem PLAYBOY, não há MANCHETE nem VISÃO/Já não tenho mais emprego/Mas pelo menos me livrei do pescoção/No carnaval, eu faço frila/No Mercadinho, em liquidação/(Imprensa, meu bem)Imprensa Que Eu Gamo, meu bem/Cheguei a dez, mas já estou a mais de cem(e o Larry deu!)".

Aqui do frio de deizinhos negativos eu também boto o meu bloco na rua e amo muito tudo isso.

Um comentário:

Olga disse...

Eu conheço o fotógrafo e sei aonde ele está! O NYT botou a culpa nele, claro. Mas um amigo em comum da gente disse que ele foi convocado pelo jornal para fotografar gente gorda na praia, sem dizer qual era a pauta da matéria.
Segundo nosso amigo, a foto que publicaram na matéria não é a que está no Globo, que foi ao banco de imagens do NYT pegar a foto para publicar.
Sei lá com quem está a verdade, até hoje não li a matéria. Mas o engraçado é que uns amigos americanos meus diziam que era muito legal ver gente gorda na praia, porque mostra que são pessoas mais preocupadas em curtir a vida do que em se mostrar pros outros.